Qual é a porcentagem da minha riqueza que deveria estar investida em Imóveis?

A propriedade é uma poderosa forma de investir seu capital e aumentar sua fortuna. Pode oferecer renda, apreciação, equidade, diversificação e vantagens fiscais. Mas quanto de sua riqueza líquida deve ser dedicada a imóveis? Como você decide qual percentagem alocar para esta classe de ativos? Como você alinha sua alocação imobiliária às suas metas financeiras e tolerância ao risco?

É importante abordar essas questões, pois, segundo alguns relatórios, a porcentagem média de valor líquido investido em imóveis nos Estados Unidos é de aproximadamente 70%. No entanto, a maioria dos consultores financeiros sugere a alocação de um montante entre 25% e 40%. É importante salientar que estes números não são soluções prontas para todos, mas sim médias ou diretrizes gerais. Sua situação financeira pessoal, metas e aceitação de risco influenciarão significativamente qual será sua alocação ideal.

Neste artigo, vamos oferecer algumas informações e sugestões para ajudá-lo a determinar a porcentagem ideal de patrimônio líquido em propriedades. Também apresentaremos a Kubera, um software de rastreamento de valor líquido inteligente que pode auxiliá-lo a monitorar e aperfeiçoar sua distribuição de bens imobiliários.

Entender investimento imobiliário é necessário para aqueles que pretendem ter êxito na área.

Antes de analisarmos os aspectos da alocação de ativos imobiliários, vamos entender de que se trata o investimento em imóveis e por que é tão atraente.

O empreendimento imobiliário envolve a aquisição, gestão e venda de bens imobiliários para obter lucro. Estes bens podem variar desde residências, apartamentos, terrenos, lojas, escritórios, galpões até outras propriedades.

  • Habitações residenciais (tais como casas de um único proprietário, apartamentos, residenciais, etc) são uma excelente escolha de investimento.
  • As propriedades comerciais (tais como edifícios de escritório, lojas de varejo, hotéis, etc.) são típicas para serem alugadas a um inquilino.
  • Propriedades industriais, como depósitos, usinas, etc., são essenciais para o progresso econômico.
  • Terrenos como lotes vazios, fazendas, etc. são considerados de propriedade particular.

Alguns dos avanços obtidos ao investir em imóveis são: segurança financeira, estabilidade e retornos a longo prazo.

  • Avaliação: O valor dos imóveis tende a aumentar ao longo do tempo devido a fatores como a inflação, oferta e demanda, localização e melhorias. De acordo com a Agência Federal de Finanças de Habitação (FHFA), os preços das casas nos EUA aumentaram em média 6,8% entre 2015 e 2020.
  • Equidade: Possuir um imóvel lhe dá a capacidade de acumular equidade, que é a diferença entre o valor de mercado de sua propriedade e o montante devido em sua hipoteca. Equidade pode ser usada como garantia para obtenção de empréstimos, refinanciamentos ou para levantar dinheiro.
  • A receita mensal média nos Estados Unidos foi de US$ 1.843 a partir de novembro de 2021, de acordo com Zillow. Imóveis podem oferecer um fluxo de renda passiva com aluguéis, arrendamentos, dividendos ou juros.
  • A diversificação dos imóveis pode tornar seu portfólio mais seguro, oferecendo exposição a um tipo de ativo que tem uma baixa correlação com ações, títulos e outros investimentos. Isso pode resultar em uma redução do seu risco global e volatilidade, além de melhorar os seus ganhos.
  • Benefícios fiscais: Propriedades podem oferecer diversos benefícios tributários, como deduções de juros hipotecários, impostos prediais, depreciação, custos de conservação, etc. Além disso, os investidores imobiliários podem adiar ou evitar ganhos de capital tributáveis usando estratégias como as trocas 1031 ou zonas de oportunidade.

No entanto, deve-se estar ciente dos perigos e fatores que acompanham o investimento imobiliário:

  • O preço de uma casa não é necessariamente o mesmo que seu valor. O preço é determinado pelo que os compradores estão dispostos a desembolsar no mercado naquele momento. O valor é determinado por fatores como localização, estado de conservação, características, serviços, etc. Por vezes, o preço pode ser maior ou menor do que o valor devido a variações de mercado, desequilíbrios de oferta e procura, especulações, etc.
  • O preço da sua propriedade pode aumentar ou diminuir ao longo do tempo em virtude de alterações nas circunstâncias do mercado, tendências de habitação, taxas de juros, fatores econômicos, demográficos, dentre outros. Por exemplo, a pandemia COVID-19 levou a um aumento na procura por propriedades suburbanas e rurais, enquanto as propriedades urbanas sofreram uma queda na popularidade.
  • Não é possível converter facilmente a propriedade em dinheiro sem perda de valor. Vender uma casa pode levar um certo tempo, trabalho e dinheiro, variando de acordo com as condições de mercado, disponibilidade do comprador, preço de listagem, processo de negociação, custos de fechamento, etc. De acordo com os dados disponíveis de Zillow, durante novembro de 2021 o tempo médio para vender uma casa nos Estados Unidos foi de 17 dias.
  • Empréstimos podem aumentar os lucros se a propriedade aumentar em valor, mas podem também aumentar as perdas se a propriedade diminuir de valor ou se você não conseguir cumprir com os pagamentos do empréstimo.
  • Gerenciamento: A propriedade requer cuidados contínuos e manutenção para manter a sua boa aparência e tornar atraente para inquilinos ou compradores. Isto pode significar custos com reparos, melhorias, jardinagem, limpeza, seguros, contas de serviços públicos, etc. Além disso, se você alugar a sua propriedade, terá de lidar com questões relacionadas a inquilinos, como rastreamento de pagamentos, arrecadação de renda, lidar com reclamações, despejos, etc.
Vai gostar:   Você deveria estar auxiliando o seu filho a adquirir uma residência?

Examinando metas financeiras e suportando a incerteza.

Descobrir a distribuição de imóveis adequada exige um profundo entendimento de seus objetivos financeiros e capacidade de suportar o risco.

Metas financeiras são metas definidas que aspiramos atingir com nosso dinheiro dentro de um determinado período. Podem incluir a compra de uma residência, programar a aposentadoria, ganhar renda de aluguel ou buscar a autonomia financeira.

A capacidade de aceitar riscos mede o grau de conforto que você tem com possíveis incertezas, visando obtenção de lucros maiores. É necessário avaliar seu nível de segurança em relação a dívidas, variações de mercado, gerenciamento de locatários e complicações legais ou tributárias.

A quantidade do seu patrimônio líquido que você alocar em bens imobiliários deve ser baseada nestes fatores.

Se a aquisição de um imóvel é o seu objetivo principal, talvez seja necessário uma alocação maior, pois é uma decisão de estilo de vida que envolve compromissos financeiros substanciais. Por outro lado, se o seu propósito é obter renda passiva através de aluguel, uma alocação menor pode ser suficiente, devido ao fluxo de caixa constante que a propriedade gera sem a necessidade de vender ativos. Nesse caso, são necessários fatores como taxas de desocupação, custos de manutenção e implicações legais para se ter uma compreensão abrangente da rentabilidade e sustentabilidade da propriedade.

De igual maneira, se o acúmulo de patrimônio para a aposentadoria ou legado é seu objetivo, um maior investimento em imóveis poderia ser útil devido ao potencial de valorização e aumento de patrimônio a longo prazo. Porém, considerações como liquidez desejada, benefícios da diversificação e ganhos de capital também devem ser consideradas para se adequar às suas expectativas de crescimento e segurança de risco.

Sua capacidade de tolerar o risco deve ser um reflexo de suas condições pessoais e níveis de conforto. Por exemplo, se você estiver à vontade com a dívida, poderá optar por investir em imóveis, pois isso oferece o potencial de obter maior retorno devido à alavancagem, mas também há o risco de perda. Se você estiver confortável administrando inquilinos ou mantendo a propriedade, pode ser apropriado aumentar a alocação, mas isso deve ser equilibrado com o tempo necessário, bem como as habilidades e responsabilidades envolvidas.

Pense em sua situação financeira geral, localização da propriedade, tendências do mercado e outros fatores ao decidir sobre investimentos.

Determinando o custo líquido e examinando a propriedade imobiliária.

Descubra o valor total da sua propriedade imobiliária e avalie o seu nível de exposição: isso é uma etapa necessária para aperfeiçoar a sua alocação imobiliária.

O valor bruto é a soma de todos os seus bens e títulos, descontadas as obrigações. Isso inclui caixa, propriedades, ações e outros investimentos, menos qualquer dívida que você tenha.

  • Dinheiro e seus similares (como cheques, contas de poupança e investimentos de mercado monetário) são considerados ativos de curto prazo.
  • Contas de aposentadoria, como os 401 (k), IRAs e Roth IRAs, são excelentes meios para acumular fundos para a velhice.
  • Investir em ações, títulos, fundos mútuos e ETFs pode ser uma excelente opção para diversificar seu portfólio financeiro e potencialmente ampliar seu patrimônio.
  • Imóveis residenciais, propriedades de aluguel e lotes são uma forma comum de investir.
  • Posses particulares (por exemplo, automóveis, jóias, obras de arte).

Por conseguinte, as obrigações incluem todos os pagamentos e parcelas.

  • Empréstimos hipotecários (por exemplo, empréstimos residenciais, financiamento de capital social, linhas de crédito) são freqüentemente usados para financiar a compra de bens de alto custo, como imóveis.
  • Empréstimos pessoais (tais como aqueles para financiar um veículo, para a educação, ou dívidas decorrentes de cartões de crédito) são uma forma usual de se contrair uma dívida.
  • Tributos (tal como as taxas de renda, propriedade e vendas) são cobrados pelo Estado para financiar serviços públicos.
  • Otras responsabilidades (por ejemplo, jubilación de invalidez, pensión legal)

Seu valor líquido é o resultado do seu patrimônio líquido, isto é, a soma de seus bens menos as suas dívidas. Por exemplo, se seus bens somarem US$ 500.000 e suas dívidas somarem US$ 300.000, o seu valor líquido é de US$ 200.000.

Estime a proporção de sua exposição imobiliária calculando o valor de sua propriedade em relação ao seu patrimônio líquido. Se o seu patrimônio líquido for de US$ 200.000 e seu imóvel valer US$ 100.000, a exposição imobiliária será de 50%.

Para agilizar esse procedimento, avalie a possibilidade de usar uma calculadora de patrimônio líquido para estimar sua exposição imobiliária e patrimônio líquido de forma rápida, inserindo seus bens e obrigações.

O lugar onde um imóvel está situ

Agora que você descobriu quanto é seu patrimônio líquido e quanto da exposição imobiliária, compare-os com as faixas recomendadas e altere-os de acordo. Todavia, não há resposta única para quanto do seu patrimônio líquido deve ser investido em imóveis. A alocação ideal depende de vários fatores que são peculiares a cada pessoa, tais como metas financeiras, níveis de risco aceitáveis, necessidades de renda, estilo de vida e horizonte de investimento.

  • Possuir uma casa é uma forma comum e importante de se deter imóveis. Ela traz consigo benefícios como abrigo, conforto, estabilidade e orgulho. Mas, ao mesmo tempo, há custos relacionados a ela, como pagamentos de hipoteca, impostos de propriedade, seguros e manutenção, que afetam a liquidez, mobilidade e diversificação. Por isso, é essencial ponderar os benefícios e custos da aquisição de uma casa e decidir o quanto do seu patrimônio você deseja alocar nela. Segundo vários especialistas, a porcentagem ideal para a propriedade de casa é entre 10% e 30% do valor líquido.
  • Propriedades de aluguel podem oferecer-lhe renda passiva que pode suplementar suas outras fontes de renda ou financiar seus gastos. Entretanto, elas exigem gestão, manutenção, marketing, lidar com inquilinos, vazios e regulamentos. Também pode ter impacto em seu fluxo de caixa, impostos, alavancagem e diversificação. É importante avaliar o valor e o desempenho de suas propriedades de aluguel e o impacto no seu patrimônio líquido. Segundo alguns especialistas, a faixa ideal para propriedades de aluguel é entre 11% e 40% do seu patrimônio líquido.
  • A diferença entre o valor de mercado da sua casa e o que você deve em sua hipoteca é conhecida como patrimônio doméstico. Isso pode ser um ativo lucrativo que pode aumentar o seu valor líquido ao longo do tempo, à medida que você paga sua hipoteca e seu imóvel se valoriza. Por outro lado, a equidade residencial também pode ser uma responsabilidade que pode reduzir o seu valor líquido ao longo do tempo, se você pagar muitos juros em sua hipoteca ou se sua casa deprecia. Além disso, o patrimônio doméstico pode influenciar sua liquidez, alavancagem, diversificação, etc. Por essa razão, é importante considerar o papel de capital doméstico e pagamentos
  • O dinheiro fluindo em e fora de uma propriedade é o que chamamos de fluxo de caixa. A diferença entre a renda e as despesas é o que determina se o fluxo de dinheiro é positivo ou negativo. O impacto deste dinheiro em seu valor líquido, renda, gastos e impostos é algo que você deve considerar ao investir em imóveis. Segundo alguns profissionais, a porcentagem ideal entre a renda e o fluxo de caixa está entre 10% e 20%.
  • Investir em imóveis pode oferecer diversos benefícios fiscais que reduzem seu rendimento tributável e aumentam seu valor líquido. Por exemplo, você pode deduzir juros hipotecários, impostos prediais, depreciação, despesas de manutenção, etc., de seus ganhos de aluguel. Além disso, você pode diferir ou evitar impostos sobre ganhos de capital usando estratégias como trocas 1031 ou zonas de oportunidade. No entanto, investir em imóveis também pode implicar algumas consequências fiscais que podem afetar seu valor líquido. Por exemplo, você pode ter que pagar impostos sobre ganhos de capital quando vende uma propriedade.
Vai gostar:   Habitação desacelerou mais do que se previa, com as vendas de imóveis despencando.

Investigando quatro formas distintas de aplicação em imóveis.

Paráfrase: Aportar em bens imobiliários pode ser realizado de maneiras variadas através de métodos distintos, cada um oferecendo suas próprias características, vantagens e desvantagens. Algumas maneiras comuns de investir em imóveis incluem:

  • Confianças de Investimento Imobiliário (REITs) são empresas que detêm e administram imóveis geradores de renda ou hipotecas. Com a aquisição de ações desses fundos, os investidores têm acesso a um portfólio diversificado de ativos imobiliários, sendo dispensado o dever de possuí-los ou geri-los diretamente. REITs são obrigadas a distribuir aos acionistas, pelo menos 90% de sua renda tributável, como dividendos. Eles podem oferecer altos rendimentos, facilidade para liquidar, diversificação e gerenciamento profissional. Por outro lado, REITs também podem ter tarifas elevadas, baixo potencial de crescimento, volatilidade no mercado e ineficiências fiscais.
  • Imóveis unifamiliares: Estes são imóveis residenciais que acomodam somente uma família. Estes tipos de propriedades oferecem um bom potencial de valorização, menor taxa de vacância, gerenciamento mais fácil e opções de financiamento atrativas. Por outro lado, há alguns contras, como custos elevados de manutenção, baixo rendimento, menor diversificação e alta concorrência.
  • As propriedades residenciais que abrigam múltiplas famílias ou domicílios em unidades separadas são chamadas de propriedades multifamiliares. Tais propriedades oferecem oportunidades para altos fluxos de caixa, taxas de ocupação elevadas, economias de escala e incentivos fiscais. No entanto, podem também acarretar altos custos de compra, elevados custos de gestão, grande volume de negócios e regulamentos complicados.
  • Propriedades usadas para fins comerciais, tais como edifícios de escritório, lojas de varejo e hotéis, oferecem altos rendimentos de aluguel, arrendamentos de longo prazo, potencial de valorização e inquilinos profissionais. No entanto, os imóveis comerciais também podem representar barreiras de entrada, custos operacionais expressivos, sensibilidade ao mercado e questões relativas ao meio ambiente.

Tomar medidas para gerir e reduzir os riscos é uma parte importante da formulação e aplicação de estratégias. É essencial que todas as organizações pensem em estratégias de gestão de riscos para assegurar que eles alcancem seus objetivos.

O último passo para descobrir a alocação de imóveis ideal para você é implementar algumas táticas de alocação de recursos e ferramentas de administração de riscos.

A divisão do portfólio entre diferentes classes de ativos, como ações, títulos, imóveis e outros, é conhecida como alocação de ativos, levando em conta sua tolerância ao risco, prazo e metas financeiras.

A distribuição de bens pode ajudar você a melhorar seus ganhos, diminuir suas chances de prejuízo e variar sua carteira.

Gerenciar riscos é a tarefa de descobrir, avaliar e reduzir as possíveis perdas ou ameaças ao seu portfólio. A gestão de riscos pode ajudar a proteger seus bens, impedir que você incorra em prejuízos desnecessários e lidar com a instabilidade do mercado.

Algumas táticas de alocação de ativos e métodos de gerenciamento de riscos que você pode implementar ao investir em imóveis são:

  • Uma diretriz comum para a alocação de imóveis é reservar entre 25% e 40% de seu patrimônio líquido para propriedades, incluindo seu lar. Essa faixa de porcentagem pode lhe proporcionar os benefícios de ser um proprietário imobiliário, dando-lhe flexibilidade para aproveitar outras oportunidades de investimento. No entanto, esta regra do polegar não é uma resposta para todos os casos, e pode não ser adequada para a sua situação particular, metas e preferências. Por esta razão, deve-se usá-la como um ponto de partida, não como uma solução definitiva.
  • Ajustando sua alocação de acordo com sua idade, você pode reduzir sua exposição a ativos de alto risco, como ações, e aumentar sua exposição a ativos mais seguros, como obrigações. Além disso, pretende-se reduzir a exposição a ativos ilíquidos, como imóveis, e aumentar a exposição a ativos líquidos, como dinheiro. Esta abordagem pode ajudar a preservar a riqueza, minimizar os efeitos das flutuações do mercado e preparar-se para a aposentadoria. No entanto, deve-se lembrar que fatores como a economia ou outras circunstâncias podem não ser adequadamente
  • Uma abordagem mais direcionada para a alocação imobiliária é centrada nos seus objetivos financeiros específicos. A ideia é que você deve decidir quanta parte do seu patrimônio liquido a destinar a imóveis de acordo com o que você deseja alcançar com o seu dinheiro em um determinado período de tempo. Por exemplo, se o seu objetivo é comprar uma casa para você mesmo ou para a sua família nos próximos anos, você pode optar por transferir mais do seu patrimônio líquido para dinheiro ou investimentos de curta duração que podem ajudá-lo a economizar para um pagamento de baixo. Se o seu objetivo é gerar renda passiva a part
Vai gostar:   O mercado imobiliário tem tido um ano fantástico, com o número de vendas de casa atingindo patamares anuais elevados

Eu procurei aconselhamento profissional de meu docente.

Se você ainda não está decidido sobre quanto do seu patrimônio líquido deveria estar em propriedades imobiliárias ou como otimizar sua alocação de ativos imobiliários, pode ser aconselhável buscar ajuda de um consultor financeiro ou um especialista imobiliário.

Um especialista em finanças pode ajudar a avaliar a sua situação econômica, objetivos e limites de risco; elaborar um plano individualizado de finanças; e sugerir uma estratégia de distribuição de ativos adequada para o seu portfólio.

Um conselheiro financeiro também pode te acompanhar para monitorar e adaptar sua distribuição de ativos imobiliários de acordo com as mudanças de sua situação e metas ao longo do tempo.

Um perito em imóveis pode te ajudar a determinar o preço de seus bens, descobrir e avaliar possíveis propriedades, negociar acordos, administrar transações e lidar com questões legais e fiscais. Eles também podem te ajudar a maximizar o seu fluxo de caixa, rendimentos e benefícios fiscais de seus investimentos imobiliários.

Apesar de contratar um especialista, não é possível transferir todas as responsabilidades e decisões financeiras para ele. É importante se manter envolvido, bem informado e conscientizado sobre seus investimentos imobiliários e quais impactos isso pode causar em seu patrimônio. É preciso escolher cuidadosamente um profissional habilitado, de confiança e que esteja alinhado com seus interesses.

Você pode acompanhar seu patrimônio líquido de maneira fácil e prática com o uso do programa de monitoramento Net Worth da Kubera para redistribuir bens imobiliários.

A Kubera oferece uma forma de determinar a alocação imobiliária ideal com seu software de monitoramento de valor líquido. Esta ferramenta fornece diversos recursos e vantagens, como:

  • Rastrear investimentos: A monitorização eficiente de investimentos imobiliários e o seu desempenho no seu valor líquido pode ser facilitada com a Kubera. Introduzindo informações sobre a propriedade, os seus valores são atualizados usando dados de fontes relevantes. Incluindo outros ativos e passivos, oferece uma perspetiva abrangente do seu valor patrimonial.
  • Acompanhe seus rendimentos de aluguel e despesas para cálculos precisos de fluxo de caixa. Utilizando dados de mercado, você pode monitorar seus valores de propriedade ao longo do tempo. As ferramentas de análise financeira da Kubera ajudam a avaliar seus investimentos e oferecem métricas como o IRR para manter você informado sobre os seus rendimentos imobiliários. Você também pode ver o desempenho do seu portfólio ao longo do tempo usando seus gráficos e diagramas.
  • Kubera fornece uma perspectiva sobre a distribuição de ativos, a divisão de vários tipos de ativos e a localização. Se você definiu alertas sobre a necessidade de reequilíbrio, ele oferece aconselhamento oportuno e ações adequadas.

No término desta atividade, chegamos à conclusão de que a tecnologia tem um grande papel na vida das pessoas, pois ela auxilia na execução de tarefas e na interação entre elas.

A propriedade real pode ser uma maneira significativa de criar riqueza e alcançar metas financeiras. O entanto, é essencial que se considere cuidadosamente a alocação de imóveis apropriada às circunstâncias particulares de cada investidor antes de tomar uma decisão informada.

  • Entender os princípios básicos de investimento em imóveis é necessário para quem pretende começar a aplicar seu dinheiro.
  • Examinando seus metas financeiras e a capacidade de aceitar riscos
  • Fazendo um cálculo de seu valor líquido e da propriedade imobiliária detida.
  • Exame dos fatores que influenciam a alocação de investimentos imobiliários.
  • Utilizando pensamentos estratégicos sobre alocação de recursos e técnicas para lidar com os riscos, o investidor pode alcançar um retorno desejado.
  • Contratar um assessor financeiro para aconselhamento.
  • Usando o programa de monitoramento líquido da Kubera, descobrimos que era possível seguir nossa circulação de dinheiro com muita maior facilidade.

Ao seguir essas etapas, você pode ajustar sua parte de imóveis para adequá-la à sua condição financeira particular, melhorando o desempenho dos investimentos e o lucro, enquanto reduz os riscos.