Qual é a quantidade de seguro de portfólio que você necessita?

Inconhecidos conhecidos

Donald Rumsfeld famosamente identificou duas formas de risco. O tipo mais comum, que se pode prever, envolve “coisas que se sabe que se desconhece”. Todavia, disse Rumsfeld, a possibilidade real de preocupação é o perigo inesperado de “coisas que se desconhece que se desconhece”.

Embora oferecido como aconselhamento geopolítico, o conselho de Rumsfeld é igualmente relevante para investimentos. A investigação de investimentos tradicionais concentra-se em desconhecidos que são conhecidos. Os retornos de segurança são desconhecidos. Ninguém pode prever como a Tesla irá desempenhar amanhã ou em qualquer outro período – por exemplo, quem teria previsto que as ações da empresa teriam aumentado 85% desde a minha coluna de janeiro, “Tesla: Ação para Nossos Tempos”? Tentar fazer o contrário é invocar uma arte sombria.

Em contraste, os investidores conhecem os retornos relativos, riscos relativos e distribuições de intervalo – como cada grupo de ativos irá se comportar durante um longo período, em condições comuns. Quando ingressei na Morningstar em 1988, me disseram que as ações ganhariam mais do que os títulos, as empresas de alto rendimento superariam as notas do Tesouro de médio prazo e cada classe de ativos se sairia melhor do que o dinheiro. Desde então, isso vem acontecendo. Os riscos relativos das ações, títulos de lixo, notas do Tesouro e dinheiro também estão de acordo com as previsões do meu mentor.

Um comentário de investimento foi realizado neste material. Existe algum prêmio de empresa para ações menos conhecidas, ou um “valor premium” para ações de baixo custo? Ações de países emergentes valorizarão mais do que aquelas de economias desenvolvidas para compensar o maior risco, ou esses possíveis lucros serão dissipados devido à corrupção? Quão longe os títulos de renda fixa de longo prazo superarão os títulos de curto prazo?

Vai gostar:   Como os avós podem preservar os netos?

A lista não para, abarcando desde os detalhes dos títulos de propriedade particular, tais como capital de risco, até investimentos em grupos de fundos, fundos mútuos, fundos negociados em bolsa, fundos fechados e fundos de hedge. Cada um tem os seus próprios benefícios e desvantagens, que merecem ser discutidas, da mesma forma que a decisão de investir de forma ativa ou passiva.

Exame da inclusão de princípios gerais na prática convencional

Estes são os requisitos para se tornar um Analista Financeiro Chartered. Estudar os retornos esperados, os riscos e as características de várias classes de ativos; como esses ativos podem ser combinados para criar carteiras; e as diferentes formas de fundos. Depois, combinar esta informação com o horizonte de tempo, status fiscal e objetivos de investimento de um cliente específico para obter a certificação CFA.

Tudo está correndo bem. Quanto maior for a compreensão do investimento, menos surpresas o investidor terá. Os especialistas recebem Prêmios Nobel por elucidar esses temas. Em um nível mais básico, profissionais de pesquisa escrevem regularmente sobre os princípios do investimento. Estou incluído nessa lista. Ao preparar este artigo, eu tinha a intenção de examinar se a carteira clássica equilibrada de 60% ações/40% títulos ainda era apropriada. Entretanto, Lauren Solberg da Morningstar chegou lá antes, apresentando um artigo que refletia meus pensamentos, de modo que eu tomei uma abordagem diferente.

Ninguém sabe o que o amanhã trará.

Esta abordagem trata dos desconhecidos como um tipo de seguro de carteira. Não se trata de uma estratégia de investimento da década de 1980 que foi criada para tentar proteger-se do declínio do mercado de ações por meio de contratos futuros, que acabou falhando em outubro de 1987. Em vez disso, se refere ao planejamento de uma rentabilidade acima das “condições normais” que a análise tradicional depende.

Vai gostar:   Seja cauteloso com seu dinheiro, títulos e ações a fim de evitar problemas.

Um exemplo seria o comércio da acumulação de estoques e títulos de uma vida para a propriedade real e o bullion de ouro — como fez o pai de um amigo. Sua crença de que as ações ganhariam contra a inflação ao longo do longo prazo não era mais válida, pois ele acreditava que o governo dos EUA era improvável de honrar suas obrigações. Para esse investidor, o desconhecido não era algo inimaginável ou distante; era uma chance óbvia e real.

Com certeza, este é um caso extremo. Em 1994, William Bengen, um planejador financeiro, determinou a regra comum para as taxas de retirada de aposentados, que afirma que os investidores podem gastar 4% de seu valor inicial anualmente, ajustado para a inflação. Esta pesquisa foi baseada na análise dos retornos históricos de investimentos americanos. Ele não considerou fatores desconhecidos.

Não estou querendo me pronunciar. Este trabalho é ótimo e bom. Muitos artigos que seguiram os resultados de Bengen têm feito o mesmo. (Entre esses tentativas havia um co-autor de ‘O Estado da Renda à Reforma: 2022’). Embora, esses debates podem ser percebidos como ingênuos e agressivos porque assumem condições normais que poderiam não acontecer. Estas previsões são baseadas nos investimentos dos EUA no último século. Porém, os Estados Unidos são somente um país, e este século somente um de muitos.

Dicas úteis para melhorar a sua existência.

Para aqueles que se preocupam com os riscos de desconhecidos, há duas recomendações principais. A primeira é ser cauteloso. Embora uma estratégia de investimento pode ter se mostrado bem-sucedida por três gerações de história dos EUA, isso não garante que ela também será eficaz no futuro. Muitos economistas notáveis não acreditavam que a inflação e o desemprego poderiam ser tão altos ao mesmo tempo, até que isso aconteceu nos anos 70.

Vai gostar:   Por que é importante para os conselheiros estarem atentos ao banco aberto?

A segunda defesa é garantir muito mais que os investimentos tradicionais. O ouro e a propriedade foram mencionados. Outras opções incluem commodities, estratégias de investimento alternativas e, ainda mais importante, títulos ajustados à inflação. Os céticos da inflação são de opinião que manter somente títulos com taxa fixa é como jogar a versão financeira da roleta russa. Muitas vezes, os planos de aposentadoria acabam bem, mas se a inflação não se desenvolver, um desastre de investimento pode estar à espreita.

Apenas alguns exemplos foram aqui apresentados para ilustrar as considerações. Abordar inteiramente as armadilhas que advêm de desafios desconhecidos, juntamente com as possibilidades de protecção, exigiria uma monografia em vez de uma coluna duas vezes por semana. Porém, deve-se notar que, embora a análise de investimento mainstream seja muito útil (eu o diria, certo?), ela está longe de ser completa. Alguns riscos escapam à contabilidade.