Um tutorial para principiantes sobre benchmarks.

Começando com um pouco de contexto, “marca de banco” é um termo originado na profissão de levantamento de terrenos do século XIX. Refere-se a um marco de referência esculpido em pedra para que as varas de nivelamento fossem repetidamente e com precisão reposicionadas. Hoje em dia, o conceito de “marca” é aplicado a diversas disciplinas e é frequentemente ligado à medição.

Ao aplicar-se aos investimentos, os benchmarks servem para medir a eficácia do gestor de investimentos. Fundamentalmente, os retornos de benchmark ao longo de um determinado período de investimento dão uma referência para perceber como um investimento específico se comportou, em comparação. Embora isso possa parecer simples, os vários tipos de investimentos tornam o entendimento das sutilezas do benchmarking um aspecto importante da avaliação do desempenho, o que é uma parte essencial da escolha dos melhores investimentos.

Aqui, vamos examinar os principais elementos para melhorar sua compreensão em relação ao seu desempenho de investimento.

Quais são os vários tipos de benchmarks? Existem quatro tipos principais: desempenho, robustez, fiabilidade e escalabilidade.

  • Com base nos índices, a fonte de referência mais frequentemente usada pelos nossos gerentes de Planos Wealthify.
  • Nós recorremos ao Grupo PEEr para nossos projetos.
  • O governo optou por atrasar o retorno às aulas presenciais conforme medidas de prevenção.
  • Todos os dias eu faço uma caminhada.

Benchmarks que se baseiam em índices refletem o desempenho de um conjunto de investimentos, normalmente ações ou obrigações. Estes índices são criados com base em regras que estabelecem quais investimentos farão parte da lista e qual a proporção. Por exemplo, temos o Índice FTSE 100 que contém as 100 maiores empresas do Reino Unido. Uma pergunta que muitas vezes surge é: como é determinado o que é grande? A resposta é que o tamanho de uma empresa é baseado no preço de mercado de suas ações, que determina o valor total das ações. A mudança no preço das ações da empresa também af

Referências do grupo Peer são outro tipo de indicador que é frequentemente visto. É quando os investidores são agrupados, e a performance média do grupo é usada como referência. Cada investidor no grupo pode então comparar seu desempenho com a média para determinar como eles se saíram em relação aos seus pares. Estes benchmarks são mais comuns em fundos que contêm uma variedade de diferentes tipos de ativos, tais como ações e títulos. Estes também são investimentos mais comuns feitos por meio de fundos, como nossos planos na Wealthify.

Vai gostar:   Como preparar para uma recessão: distribuir dinheiro

A terceira referência é aquela associada a um índice específico, tal como a inflação ou a taxa de caixa em um banco. Estas são usadas comumente para investimentos em dinheiro, ou equivalentes em dinheiro, ou investimentos conservadores onde o dinheiro e outros investimentos de risco mínimo formam a maior parte da carteira. Por exemplo, o Plano Cauteloso Original Wealthify tem uma referência vinculada à inflação devido ao seu nível de baixo risco.

Referências absolutas fixas são menos comuns, mas existem. Estes são benchmarks que têm um resultado de retorno declarado, como 8% de composição ao longo de 3 anos. A maioria dos fundos contém uma mistura de medidas baseadas e absolutas, especialmente aqueles que possuem uma variedade de ativos diferentes, como ações e títulos. Tais investimentos são muito comuns em fundos como os Planos em Wealthify.

O prazo deve ser considerado quando se trata de referências. Geralmente, o objetivo de um fundo de superar a referência é declarado anualmente, mas deve ser alcançado em um período de 3 a 5 anos. Esses períodos mais longos indicam maior exposição a ativos de risco, como ações, que podem levar mais tempo para serem lucrativos e mostrar variações maiores nos preços. Embora haja o risco de um ano ruim, seguido por dois anos muito bons, o objetivo deve ser alcançado no prazo estabelecido.

Examinemos um exemplo.

Tabela 1: Relação entre Investimento e Desempenho do Padrão (utilizando dados hipotéticos)

Imagem: xsix/UnPlash

Por gentileza, observe que a tabela descrita acima foi desenvolvida apenas para fins demonstrativos e os rendimentos usados são imaginários.

Como se pode observar, nos primeiros anos, o investimento é menor, conforme o termo de referência aumenta. No entanto, ao longo dos próximos três anos, o investimento ultrapassa esse limite anualmente, sendo possível verificar isso claramente pelo gráfico. Isto significa que, quando se trata de um investimento de longo prazo, é prudente não se apressar a julgar o desempenho a curto prazo. Vale lembrar, no entanto, que este é apenas um exemplo hipotético e não está baseado em Wealthify ou dados reais.

Gráfico 1: Investimento x Desempenho do Padrão de Referência (utilizando dados fictícios)

Imagem: GernotBra/PixaBay

Por gentileza, observe que o gráfico exibido é exclusivamente para fins de exemplificação e que os rendimentos ali mostrados são meramente hipotéticos.

Visto acima, se tivéssemos começado com R$ 100 de investimento, nos teríamos R$ 120,6 ao fim de três anos, enquanto que o benchmark teria apenas R$ 114,0. É importante notar que é somente no terceiro ano do investimento que o desempenho externo é gerado quando o benchmark é negativo, e o investimento tem um bom resultado. Por favor, tenha em mente que este é apenas um exemplo com desempenho hipotético, não baseado em Wealthify ou dados reais.

Vai gostar:   A carteira MoneyWeek de confianças de investimento foi revisada em março de 2023.

Examinar o desempenho de nosso investimento é uma parte importantíssima do processo de pesquisa de fundos na Wealthify. Obter insights sobre o que contribui para o desempenho dos nossos gestores de fundos é fundamental para que possamos prever o que esperar em diferentes mercados e do processo de gestão. Esta informação nos dá a confiança de que, ao longo de longos períodos, nossos investimentos vão prosperar, mesmo que não necessariamente ao mesmo tempo.

A função principal da benchmark em fundos gerenciados passivamente é servir de referência para a reprodução de desempenho. Fundos passivos ou os rastreadores, usados frequentemente nos Planos Originais Wealthify, tentam rastrear a performance de um índice selecionado por meio de várias técnicas de replicação. A mais simples de ser compreendida é a replicação direta. Nesse processo, o gestor adquire os investimentos exatamente como eles são representados no índice, resultando na clonagem direta do desempenho antes das taxas. Geralmente, usamos a benchmark como uma forma de medir quão bem o gerente pode monitorar o índice selecionado.

A função principal dos benchmarks em fundos ativos que usamos em nossos Planos Éticos é servir como uma ferramenta para medir o desempenho do fundo. Nossa seleção de gestores de fundos de referência sugere uma ampla variedade de investimentos para os quais eles devem superar as taxas. É este o papel dos gerentes ativos e é por isso que pagamos taxas mais elevadas por eles – eles precisam superar o benchmark para justificar sua aquisição em comparação com um investimento passivo que acompanha o mesmo benchmark.

Nós procuramos por determinadas qualidades em uma referência. Existe uma sigla útil que representa as qualidades ideais de referência: SAMURAI, que significa:

A especificação da referência deve ser feita previamente ao momento em que se começa a medir; de outra forma, ela pode ser selecionada para servir ao resultado desejado, o que não nos traria qualquer utilidade.

Adequado: A seleção deve ser condizente com o estilo de gestão do gerente e o seu domínio.

Medida: Os resultados do índice de referência devem ser simples de serem calculados com periodicidade.

Sem ambiguidade: A referência deve ser direta em termos de quantidade e os ativos suportados.

Reflexão: O gerente necessita estar ciente dos investimentos mais recentes na referência.

Vai gostar:   É provável que seja mais complicado adquirir uma residência neste ano.

Responsabilizado: O gerente assume a responsabilidade pelo rendimento dos investimentos que formam o índice de referência.

Investível: Os investidores podem fazer um benchmark se quiserem (ou seja, os investidores poderiam adquirir o benchmark como uma opção).

Na Wealthify, geralmente dividimos o mercado de ações global em localizações geográficas e, nos níveis mais específicos, países, quando for apropriado. Procuramos então encontrar fundos especializados nestas áreas. Com a maioria dos fundos em que investimos, baseados em índices de benchmarks, muitas das características desejadas de benchmarks, como ‘Mensurável’, são automaticamente cumpridas. Logo, nos concentramos mais nas características selecionadas, dependendo do tipo de investimento.

Em nossos Planos Originais, procuramos investir em fundos que seguem benchmarks que refletem o clima de negócios de um país ou região específica, oferecendo diversificação em relação às ações e setores específicos para evitar a concentração. Também buscamos benchmarks que sejam fáceis de ser replicados e monitorados, o que nos ajuda a obter o desempenho esperado e reduzir os custos.

Em nossos Planos Éticos, é de extrema importância que a carteira de um fundo seja escolhida com cuidado, e que exista um produto de investimento passivo para comprar que corresponda a essa seleção. Dessa forma, podemos garantir que estamos direcionando os investimentos corretos, podendo também avaliar como o gerente se comportou em comparação ao benchmark e outras alternativas de investimentos passivos para avaliar o seu valor agregado.

Os marcadores são cruciais para os investidores, pois oferecem um meio de medir o desempenho de investimentos passivos e ativos. No caso dos investimentos passivos, o benchmark é usado primordialmente para avaliar como bem o gerente consegue seguir o índice escolhido, depois de descontadas as taxas; enquanto para os ativos, estamos em busca de um desempenho além de uma referência adequada e investível ao longo de intervalos de tempo apropriados. Muitos dos fundos nos Planos Wealthify usam benchmarks baseados em índices, que possuem uma série de características desejáveis, como serem geralmente investíveis. Isso sendo dito, a grande quantidade de índices – há mais de 5000 índices para ações

Referências bibliográficas são essenciais para qualquer publicação acadêmica.

Corrija o documento PDF disponível no link https://www.cfauk.org/-/media/files/pdf/5-profissionalismo/3-pesquisa-e-posição-papéis/benchmarks-and-indices.pdf?la=en

Atualmente, existem mais índices de ações do que ações propriamente ditas.

Não se pode contar com o que aconteceu no passado para prever o que ocorrerá no futuro.

Por gentileza, não se esqueça que o rendimento de seus ativos pode se elevar ou diminuir, e você pode recuperar menos do que o que investiu.